“Untitled” por Pedro Henrique Pinheiro

“Debruçado nesta mesa

Estou à espera de mensagens

Com o brilho dessa tela

Que se torna maquiagem

 

Aqui sou quem eu quiser

Rico, pobre, branco ou preto

Neste mundo de fantasias

Posso ser até mulher!

 

O mundo viciou

O amor se modernizou

As cartas desapareceram

E declarações se perderam

 

Whatsapp virou moda

Todo mundo se acomoda

Nesse jeito de viver

Que tanto me incomoda

 

Não aguento mais ver isso

O mundo está submisso

À tanta tecnologia

Que já virou epidemia!

 

Por isso faça me o favor

Termine de ler este poema

E extravase seu amor

 

Desligue tudo

E não se torne mais um mudo

Há um mundo la fora

Com pessoas reais

“Onlines” 24 horas

 

Marque pra sair

Vamos nos divertir

Vamos ao cinema

Faça a vida valer a pena!”

 

Quando o ódio bate no córtex

Tão corrosivo quanto amônia

Entra e sai sem cerimônia

Não aguenta monotonia

Logo acaba com a harmonia

 

Faz de tudo para que dê errado

O que um dia já foi adequado

Esmaga coração acabado

Olha o menino! Coitado!

Está sendo arrastado

Maldito seja esse desalmado

Que faz todo homem virar culpado