Confissões

San Diego, 18 de agosto de 2013

Querida Mãe,

Como vão as coisas aí Em cima?

Estou te escrevendo como normalmente, Uma vez por semana. Mas Dessa vEz não vou falar Sobre a nossA família ou sobre “ela”, descobri algo que me deixou com medo e muito triste.

LemBra-se do Caleb? Aquele menino pálido de olhos clAros e cabelos negros? Aquele menino que nós conhecíamos desde meus 13 anos? Descobri que o amo. O amo mais do que amigo. O amor deveria ser bonito, prazeroso, mas para mim está sendo doloroso. Como se não bastasse eu estar Fraca fisicamente, O meu psicológico está destruído. “Por que doloroso?” você perguntaria. Respondo-lhe: porque Isabelle também o ama. Talvez não seja amor. Talvez seja aquele colapso de “acho que gosto dele!”. Argggg! Que raiva! Ela fica se oferecendo a ele. Que vulgar! Chega a ser repugnante. Será que dormi no ponto? Como de uma hora para outra aquela menina doce que eu julgava ser minha melhor amiga poderia virar uma (desculpe a palavra) vadia que só sabe beber e beber? Odeio ouvir a mistura das risadas deles. Odeio vê-los se olhando. Odeio vê-los conversando. Odeio quando estou conversando com Caleb e ela chega. Eu simplesmente odeio quem ela virou. Odeio-a!

Não sei o que faço! Como a vida é injusta! Ao mesmo tempo em que não quero machucar a Isabelle, acho que não quero admitir que ela mudou, mas não estarei aqui ano que vem. Deram-me seis meses… Só seis míseros meses! Eu lhe disse que não falaria sobre “ela”, mas não adianta. “Ela” faz parte de mim agora. Só não quero admitir para não tornar as coisas mais reais. Como poderei viver o resto de minha vida em apenas seis meses? Poderia pelo menos ir embora feliz, não é?

Acabarei de escrever para você e colocarei essa carta em seu mármore. Depois voltarei para casa e Jessica ficará comigo. Prefiro não chama-la como os médicos a chamam. “Máquina”. Ela não é apenas uma “máquina”, ela é a Jessie, minha amiga, que me mantém viva. Ficarei na cama lendo algum livro ou vendo qualquer filme. Posso até mesmo tocar um pouco o meu violão. Lembra-se dele? Aprimorei minhas habilidades! Você ficaria orgulhosa de mim!

Sinto sua falta.

Preciso de você.

Com amor e carinho,

Amélie.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s